O MIT Media Lab fez uma câmara que regista perfumes
Desenvolvedora Manisha Mohan veio com a ideia depois de sentir saudades de casa, quando se mudou para Boston.
Manisha
Quando Manisha Mohan se mudou da Índia para Boston, com parte do programa de pós-graduação no Media Lab do MIT, debateu-se com as inevitáveis saudades de casa. Ela sentia falta das conversas da sua família e do cheiro de comida caseira. Foi essa necessidade de familiaridade que a inspirou a criar a “Camera Smell”. Não, não regista qualquer tipo de representação visual de um odor – ela regista o próprio cheiro. E não se pense que este é um dispositivo de apontar e capturar: O dispositivo contém é uma bomba pneumática de mão, e é controlado pelo telefone do utilizador.

Mohan começou seu projecto em Janeiro de 2016 após uma discussão com seu conselheiro. “Nós estávamos a trocar ideias quando surgiu, e se sempre que eu sinto saudades de casa, eu pudesse ativar esse cheiro particular e imergir nesse ambiente. E foi aí que tudo começou “, explica.

Mohan e seu conselheiro começaram a câmara do cheiro usando uma bomba para recuperar o cheiro do objecto desejado. De acordo com Mohan, moléculas de ar são portadores de moléculas de cheiro. A bomba aspira as moléculas de ar em uma cápsula. A cápsula pode então ser armazenada em outro objecto, como um colar, e activado para liberar o cheiro.
smellcameraPHSHOP-1.jpg

Durante o projecto, Mohan usou um anel encapsulado com Andiroba: uma árvore alta da floresta tropical que tem um cheiro de noz. Ao usar o anel, ela foi capaz de aceder ao perfume em qualquer altura do dia. Ela escolheu o perfume depois de querer se lembrar de sua viagem ao Brasil no ano anterior.

Apesar de ter terminado o projecto em agosto de 2016, Mohan espera dar-lhe continuidade depois de se formar este ano. Embora ainda não esteja no mercado, você pode um dia ser capaz de trazer todos os cheiros de casa com você quando você viaja.
Artigo original aqui

Deixe uma resposta

Close Menu