Jeanette Andrews, uma das poucas mulheres ilusionistas no mundo, destaca-se por trabalhar a ilusão e todos os sentidos na dimensão mágica.
A artista gosta de combinar o conhecimento em psicologia, percepção e filosofia com a arte da ilusão, empolgando e envolvendo a audiência no espectáculo, tornando assim a experiência bastante interactiva.

No seu espectáculo Thresholds, apresentado no Museu de Arte de Chicago no início de 2016, criou um perfume com os pensamentos de um espectador e o mais espantoso foi que toda a audiência sentiu a fragrância. Usando apenas uma garrafa de água Fiji e um vaporizador, ela preparou o perfume. Pediu à audiência que escrevesse nuns cartões o nome de um aroma que escolhessem, que foram de seguida encaminhados para o palco. Houve pessoas que escreveram odores como serradura ou bolachas Doritos. Um voluntário da audiência foi ao palco e seleccionou um cartão que dizia Limonada. Jeanette vaporizou a garrafa de água e imediatamente o espectador no palco foi avassalado pelo aroma a limão. A ilusionista vaporizou a garrafa de água no seio da audiência e todos sentiram o cheiro intenso a limão. Como se trata de uma questão de percepção, poderemos criar uma fragrância apenas com o nosso pensamento? E fazer com que outras pessoas também o sintam? Jeanette provou que sim, criando uma fragrância por magia.

Jenine

Fontes: Chicago Tribune, Leffingwell

Deixe uma resposta

Close Menu