Os aromas gourmet (pralinê, caramelo, gelado, frutos vermelhos) já não são uma tendência passageira na composição dos perfumes – são um “must have” que fazem parte da maioria das novas fragrâncias femininas, segundo a directora criativa de fragrâncias da Givaudan. O sucesso desta tendência deve-se aos aspectos retro, reconfortante e delicioso a ponto de criar água na boca, aspectos que estão associados a sentimentos de gratificação e felicidade. O perfume Angel de Thierry Mugler é um exemplo desta família olfativa de fragrâncias, que continua na moda após 20 anos do seu lançamento no mercado, suscitando amores e ódios. Um exemplo mais recente é o perfume La vie est belle by Lancôme.

Outra grande tendência da perfumaria atual são os perfumes sem género, vulgo unissexo o CK2 da Calvin Kein é disso exemplo. Um dado interessante é que verifica-se que um terço (33%) dos perfumes para homem vendidos são usados por mulheres. A nova geração não gosta de rótulos e estereótipos, é tudo uma questão da pessoa identificar-se com o aroma, independentemente do género, e sentir as emoções que o perfume evoca.

Quem aprecia ser diferente e personalizar o seu estilo, sempre pode aplicar mais do que um perfume em simultâneo, combinando as notas perfumadas dos perfumes e criando uma nova fragrância original. O conceito de lealdade a um perfume ou a uma marca está a desaparecer, enquanto que o compromisso e a identificação com os valores da marca estão a assumir uma importância crescente na escolha do consumidor.

blog1

Fonte: Perfumer & Flavorist, Observador

Deixe uma resposta

Close Menu