Para criar um novo perfume o perfumista tem à sua disposição uma miríade de aromas que a industria extraiu e sintetizou, para que pudessem ser utilizados em processos industriais de fabrico de perfumes.  Mas, como se criaram estes aromas e como se faz para criar novos aromas? O processo de desenvolvimento destes compostos decorre nos seguintes passos:

  1. Caso teste: Encontrou-se uma planta nunca estudada, com um cheiro nunca analisado. O que fazer? Utiliza-se um equipamento de análise não-destrutiva dos compostos voláteis no ar – Headspace – capaz de recolher os compostos químicos emitidos pela planta e armazená-los para posterior análise por cromatografia gasosa e espectrometria de massa (GC/MS);
  2. O óleo essencial é analisado por GC/MS, identificando-se e quantificando-se os compostos químicos responsáveis pelo aroma da planta;
  3. 1ª HIPÓTESE: Se as moléculas deste óleo essencial forem todas conhecidas, o aroma é reconstituído em laboratório, usando compostos sintéticos na proporção verificada na planta;
  4. 2ª HIPÓTESE: No caso de serem detectadas moléculas novas, com características odoríferas diferentes e importantes, segue-se um grande esforço no sentido de desenvolver o processo da sua síntese química, envolvendo grandes conhecimentos de química orgânica, nomeadamente de reacções químicas características, tais como: esterificações, hidrogenações, ciclizações, etc.;
  5. Exemplo: natural-idêntico do jasmim – A essência de jasmim aparece como principal ingrediente em 83% dos perfumes femininos de qualidade e em 33% dos perfumes masculinos. O absoluto natural de jasmim possui mais de 300 compostos químicos. O jasmim sintético possui 15 componentes identificados no jasmim natural, que reconstituem com grande semelhança o aroma da flor natural.

Figura 3 – Comparação da análise de um ingrediente natural, com dezenas de moléculas, em que cada pico representa um componente químico, e a fórmula de um ingrediente natural-idêntico sintetizado em laboratório usando apenas 15 ingredientes. jasmimOs componentes químicos das fragrâncias são moléculas orgânicas com diferentes grupos funcionais que se podem agrupar em hidrocarbonetos lineares (monoterpenos, sesquiterpenos), cíclicos ou aromáticos, álcoois, aldeídos, cetonas, ésteres e lactonas.   Pesquisa de novos produtos naturais para perfumaria A Natureza é uma fonte (quase) ilimitada de novos químicos – estima-se que existem mais de 800 000 espécies de plantas, das quais apenas 10% são conhecidas. É uma fonte de inspiração para cientistas e perfumistas, que usam a sua criatividade e curiosidade para identificar novos materiais: uma flor rara com um perfume diferente, um fruto acabado de cortar, uma especiaria exótica. Muitas vezes as fragrâncias naturais são extremamente efémeras, que necessitam de ser capturadas para serem analisadas e reconstituídas sinteticamente. Assim, são cumpridos dois objetivos: é assegurada a preservação destas espécies raras de plantas e beneficiamos das vantagens já referidas da síntese orgânica relativamente à produção de produtos naturais.

Deixe uma resposta

Close Menu